.
O governo publicou nesta terça-feira (20) no Diário Oficial da União a Medida Provisória 758/2016, que altera os limites do Parque Nacional do Jamanxim e da Área de Proteção Ambiental do Tapajós, ambos no Pará.  As mudanças se devem à passagem da Estrada de Ferro 170, em fase de construção. 


Também chamada de Ferrogrão, a EF-170, quando finalizada, vai compor um corredor de exportação de grãos unindo Sinop (Mato Grosso) a Miritituba (Pará), possibilitando o uso de portos da Bacia Amazônica. A ferrovia vai também ajudar a aliviar o tráfego na BR-163, que corta o oeste paraense.

Floresta
by Pixabay

Em mais um tema ligado a politica e legislação ambiental, a medida provisória diz que, uma vez instalada a ferrovia, as frações das áreas que não forem efetivamente utilizadas serão reintegradas por ato do próprio Poder Executivo.


Área de Proteção Ambiental


Juntamente com a MP 758/2016, o governo editou nesta terça-feira a MP 756/2016, para alterar os limites do Parque Nacional do Rio Novo e da Floresta Nacional do Jamanxim e criar a Área de Proteção Ambiental do Jamanxim.

Esta nova APA será administrada pelo Instituto Chico Mendes, a quem caberá tomar as medidas necessárias para sua conservação. A MP diz ainda que as áreas rurais ocupadas poderão ser regularizadas, respeitando-se as regras da Lei 11.952/2009, que trata da regularização fundiária das ocupações em terras da União situadas na Amazônia Legal.

 Política e Legislação Ambiental


Os textos só serão avaliados pelo Congresso Nacional em 2017, a partir de 2 de fevereiro, quando os trabalhos legislativos serão retomados.

As MPs precisam passar por uma comissão mista formada por deputados e senadores. Só depois será votada separadamente pelos plenários da Câmara e do Senado. Uma vez publicadas, as medidas provisórias têm força de lei.

Fonte: Agência Senado.




Por Ronaldo G. da Silva: Perfil
.
Compartilhe!

.

Posts Relacionados
 
Top