Governo sanciona lei que transforma vaquejada em manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial. A lei 13.364/2016 foi sancionada pela presidência da República após várias discussões sobre o tema.



Vaquejada e rodeio viram manifestação cultural: Lei 13.364/16 


Segundo a nova lei, consideram-se patrimônio cultural imaterial do Brasil o Rodeio, a Vaquejada e expressões decorrentes, como montarias; provas de laço; apartação; bulldog; provas de rédeas; provas dos Três Tambores, Team Penning e Work Penning; paleteadas; e  outras provas típicas, tais como Queima do Alho e concurso do berrante, bem como apresentações folclóricas e de músicas de raiz.
Vaquejada
by Pixabay @Donations_are_appreciated

Confira a lei 13364/16 na íntegra: Lei da Vaquejada e rodeio


.
.


LEI Nº 13.364, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2016.

      
Eleva o Rodeio, a Vaquejada, bem como as respectivas expressões artístico-culturais, à condição de manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o  Esta Lei eleva o Rodeio, a Vaquejada, bem como as respectivas expressões artístico-culturais, à condição de manifestações da cultura nacional e de patrimônio cultural imaterial.

Art. 2o  O Rodeio, a Vaquejada, bem como as respectivas expressões artístico-culturais, passam a ser considerados manifestações da cultura nacional.

Art. 3o  Consideram-se patrimônio cultural imaterial do Brasil o Rodeio, a Vaquejada e expressões decorrentes, como:

I - montarias;

II - provas de laço;

III - apartação;

IV - bulldog;

V - provas de rédeas;

VI - provas dos Três Tambores, Team Penning e Work Penning;

VII - paleteadas; e

VIII - outras provas típicas, tais como Queima do Alho e concurso do berrante, bem como apresentações folclóricas e de músicas de raiz.

Art. 4o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 29 de novembro de 2016; 195º da Independência e 128º da República.

MICHEL TEMER
Alexandre de Moraes


Saiba Mais:


O Senado havia aprovado, em plenário, projeto de lei considerando a vaquejada como patrimônio cultural e imaterial e manifestação da cultura nacional. 
Em algumas regiões do Brasil é comum a festa de vaquejada, com presença de artistas e cantores, bandas e danças, como o forró. A prática tem cobertura de veículos de comunicação, revistas, canal de TV e outras formas de divulgação. Algumas cidades como Petrolina são tradicionais na realização do evento com regras específicas e tratamento próprio.
 O Plenário do Supremo Tribunal Federal, na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4983, por meio da qual o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, questionava a validade da Lei cearense 15.299/2013 havia decidido que tradicional prática da vaquejada é inconstitucional consideraram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.

Autor: Ronaldo G. Sila
.


Por Ronaldo G. da Silva: Perfil

Compartilhe!

.
Posts Relacionados
 
Top